top of page
Buscar
  • Foto do escritorGustavo Loiola

Riscos totalmente novos e misteriosamente familiares: um balanço do Relatório Global de Riscos 2023


Eu sempre uso o Relatório Global de Riscos do World Economic Forum como uma ferramenta didática dentro da sala de aula. Tradicionalmente, o Relatório olha para a janela de riscos para os próximos 10 anos. Desta vez, graças à emergência da pandemia de Coronavírus e ao cenário de guerra entre Rússia-Ucrânia, o Relatório também trouxe um panorama dos riscos de curto e médio prazo: recessão global, aumento da pobreza e do custo de vida e movimentos de migração involuntária.

Esses problemas são facilmente observados na timidez dos investimentos em combate a mudanças climáticas, bem como na cooperação global para ajudar países e/ ou regiões subdesenvolvidas. As discussões sobre perda da biodiversidade e colapsos ecossistêmicos têm seus resultados enfraquecidos.

O Relatório divide os riscos em 5 dimensões: econômico, ambiental, geopolítico, social e tecnológico. Todos os riscos dessas dimensões afetam o Brasil em maior ou menor intensidade. Nosso país, com sua rica biodiversidade, tem um potencial enorme de se tornar uma economia verde, estando à frente no que se refere à questão climática. Exemplo recente é o investimento de mais de R$1 Bi anunciado pela Alemanha, com um pacote de medidas voltadas a políticas de desenvolvimento sustentável, combate ao desmatamento e inclusão social. Serão R$190 milhões apenas para o Fundo Amazônia.

Executivos e gestores precisam ter em mente que uma gestão ESG é vital para a sobrevivência dos negócios. Ela é baseada em mitigar, reduzir ou eliminar riscos. Portanto, devemos buscar oportunidade nesse cenário, nos preparar para inovar, pensando em novos produtos e serviços que atendam essa agenda.

A questão climática deve continuar sendo prioridade, bem como a coesão social e a redução das desigualdades. Precisamos unir esforços para trabalhar de maneira conjunta entre os diferentes setores da sociedade, afinal de contas, nenhum negócio consegue prosperar em um planeta e em uma sociedade doentes.

O Fórum Mundial

O Fórum Econômico Global é uma organização internacional localizada em Genebra (Suíça), responsável pela organização de encontros anuais com a participação e colaboração das maiores e principais empresas do mundo. Criado em 1971, os encontros geralmente acontecem na cidade de Davos, na Suíça.

Palco de grandes pactos e acordos globais, o objetivo do Fórum é melhorar a situação do mundo por meio de ações tomadas e executadas por líderes mundiais, grandes economistas, investidores e empresários.

Confira a 18ª edição do Relatório de Riscos Globais 2023 aqui.

12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page